Cachorro morre após ser enterrado vivo em Cidreira no Rio Grande do Sul

Vídeo do resgate circulou nesta quarta-feira na internet, animal tinha cinomose e não resistiu.

Cachorro morre após ser enterrado vivo em Cidreira

Cãozinho ficou de 5 a 10 minutos debaixo da areia, ele foi libertado ainda vivo, mas muito debilitado.

Um cãozinho de cerca de 2 anos morreu na manhã desta quarta-feira depois de ser enterrado vivo na areia da praia de Cidreira, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. A Polícia Civil investiga o caso, que veio a público por meio de um vídeo que circulou nas redes sociais. Entre as provas que serão analisadas estão outras imagens em que um dos suspeitos afirmaria que “o animal estava sofrendo noite e dia, e por isso foi preciso sacrificá-lo”.

Essa semana eu compartilhei q qt mais conheço os homens mais gosto d animais… Esse vídeo é a prova viva disso!!! Me da muito nojo, me revolta, chegou me dar uma tremedeira q n passou até agora!!! Meu marido Marcos Adriano Americano e meu cunhado Juliano Americano ajudaram a desenterrar… E os filhos da puta ainda fizeram sinalzinho da cruz!! Pra que??? Revoltante!!! Mais uma vez contando com a ajuda de Vera Casaril Leda Rolim e Araci Protetora Dos Animais da ONG pega bicho de cidreira

Postado por Micheli Gabriel na Terça, 11 de agosto de 2015

 

A dona de casa Micheli, diz ter visto tudo da frente de sua casa, a 200 metros da praia. Quando foi colocar o lixo na rua, na terça-feira, por volta das 15h30min, avistou dois homens, uma pá e “uma sacola que se mexia”.
— O que eu estava pensando não poderia ser verdade. Fiquei observando, para ver se não era só o vento. Mas quando tiraram o cachorrinho da sacola, vi que ele estava vivo.

Na clínica do veterinário Jony Huller, em Tramandaí, para onde o cão foi encaminhado pela ONG Pega Bicho, ele teve duas crises convulsivas típicas da lesão neurológica causada pela cinomose, o fato de ele ter aspirado areia, mesmo que pouca, contribuiu para que a morte fosse mais rápida — disse o veterinário.

A internação, os exames, os procedimentos na clínica e a incineração do animal (ele não pode ser enterrado pois o vírus da cinomose pode contaminar o solo) serão bancados pela própria ONG, que agora busca doações.

De acordo com o delegado Antônio Carlos Hactz Júnior,o homem deve ser interrogado nesta quinta-feira, suspeito de infringir a lei dos crimes ambientais em que a pena para quem fere animais ou pratica atos de abuso e maus-tratos fica entre três meses e um ano de detenção, além de multa. A pena é aumentada de um sexto a um terço se ocorre morte do animal.

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Camila alves disse:

    Desgraçado maldito tinha que ser enterrado vivo,nao sei oque ganhou em ter feito isso com um bichinho inofensivo.mas como e Brasil,nao vao ir preso.nessa merda desse pais pode fazer oque quiser,matar quem quiser que nada acontece!!

  2. alessandra disse:

    SÓ DESEJO UM CANCER PRO MALDITO QUE FEZ ISSO. UM CANCER SEM CURA E QUE TIRE TODAS AS NOITES DE SONO E CAUSE MUITO SOFRIMENTO ANTES DE MORRER.ODEIO QUEM MALTRATA ANIMAIS.

  3. Thalisson disse:

    Tenho vontade de achar essa pessoa e enterra-la viva

  4. Ygor disse:

    Filha da pura da vontade de enterra na areia tbm é que ninguém tirasse ele de la se eu visse eu dava um soco na cara dele e enterrada vivo com terra de formiga. Filha de produtos quinta-feira como fazer revólver de papel e pega bola de e barro e quando tiver enterrado sair atirando barro na cara dele

  5. Graceland disse:

    Wieso Sie die ganze Zeit diese &qano;nutitnalgesionten" Kreise ins Spiel bringen und wieso auf diesem Blog die von Ihnen unterstellten Motivationen dieser Kreise eigentlich irgendjemanden interessieren sollte, wird vermutlich für immerdar Ihr Geheimnis bleiben.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.